Estratégias republicanas para o final de semana

Enquanto Mitt Romney, candidato anterior do Partido Republicano à presidência, derrotado em 2012 por Barack Obama, atacava veementemente o líder das primárias republicanas Donald Trump, clamando por um esforço conjunto para derrubá-lo, as campanhas de cada candidato precisavam estabelecer prioridades para as próximas disputas. São quatro estados (Kansas, Kentucky, Louisiana e Maine) no sábado e um território (Porto Rico) no domingo. O neurocirurgião Ben Carson abandonou a candidatura, deixando apenas quatro candidatos para tentar os 178 delegados deste final de semana.

Em vez de falar sobre cada estado e as chances dos candidatos em cada estado, vamos considerar as projeções feitas pelo FiveThirtyEight, que procuram estabelecer um caminho plausível para os três principais candidatos obterem a maioria dos delegados, e adaptar suas previsões às necessárias alterações estratégicas realizadas após a Super Tuesday.

Donald Trump

Trump pode não ter tido uma terça-feira exuberante como muitos esperavam, mas ampliou seu favoritismo ao vermos que nem Cruz nem Rubio foram mal o suficiente para abandonar, nem bem o suficiente para ameaçá-lo imediatamente. Trump tem ótimas chances nos quatro estados que votam no sábado, embora não precise ganhar todos para se manter dentro do caminho ideal previsto por especialistas.

O FiveThirtyEight indica que Trump precisa obter 77 delegados. A forma mais fácil é concentrar-se em Louisiana e Kentucky, estados que possuem população mais pobre, eleitorado que tem sido positivo para o bilionário. Kansas deve dar boa votação para Trump, embora talvez seja o estado mais vulnerável a investidas de Ted Cruz e Marco Rubio. O Maine deve ser uma vitória acachapante, considerando o apoio que Trump obteve do governador do estado. Somente Porto Rico parece um problema grave para ele.

Mas é bom ficar de olho nas dificuldades que Donald Trump pode passar devido às regras. Louisiana e Porto Rico fazem primárias, os outros três estados fazem caucus; nesse modelo foram quatro disputas até agora e Trump venceu apenas uma (perdeu Iowa e Alaska para Cruz; ficou em terceiro em Minnesota, perdendo para Rubio e Cruz; venceu apenas Nevada, com baixíssima participação).

Além disso, os modelos de alocação de delegados não beneficiam tanto o vencedor nesses estados quanto em outros, sendo fortemente proporcionais. Ou seja, Trump tem boas chances de sair com mais quatro vitórias no sábado, mas nenhuma delas significativa o bastante para impressionar alguém mais do que já está impressionado. E há o risco de perder um ou mais estados devido à fórmula de caucus. Por isso, sua melhor estratégia é assegurar que seus muitos apoiadores participem dos caucus e concentrar esforços numa operação “Get Out The Vote”.

Precisa de: 77 delegados
Deve obter: 50 a 65 delegados

Ted Cruz

O grande benefício para Ted Cruz na Super Tuesday foi conseguir argumentos fortes para seguir na disputa e negá-los a Marco Rubio em alguma medida. Cruz obteve uma chancela importante ontem ao ser citado por Mitt Romney como um dos candidatos que devem ser apoiados contra Donald Trump. Não é pouco para quem, antes de Iowa, era atacado por anciões do partido como Bob Dole como “pior que Trump”.

A saída de Ben Carson pode ajudá-lo a recuperar mais eleitores evangélicos e fazer uma tentativa de vencer outro estado vizinho do Texas: a Louisiana. A força de Trump lá não pode ser subestimada, nem a vantagem que Rubio possui ali em relação a outros estados (apoio do ex-governador Bobby Jindal e provável boa votação em New Orleans), mas Ted Cruz não deve fazer feio em nenhum estado do final de semana, com exceção ao Maine.

Cruz tem mostrado tirar boa vantagem do formato de caucus. Mesmo em um estado que não lhe é favorável, o Minnesota, conseguiu ficar à frente de Trump e não muito longe de Rubio, favorito no estado. E dois desses caucus são em estados muito mais favoráveis, Kansas e Kentucky. O problema maior do senador texano é corresponder às expectativas ampliadas após a Super Tuesday, e para isso o melhor seria conseguir uma vitória pelo menos (na Louisiana, de preferência) e atingir o número esperado. Vai ser difícil.

Precisa de: 79 delegados
Deve obter: 55 a 70 delegados

Marco Rubio

Rubio não teve a melhor Super Tuesday possível, mas também não foi a pior. Agora é preciso acumular delegados, e em estados em que teria mais dificuldades do que seus rivais. Apesar de não ter ido mal, alguns pontos de interrogação permanecem sobre Rubio. Por isso ele considerou uma nova estratégia e resolveu acampar no Kansas para tentar um resultado expressivo ali.

A jogada faz sentido: o Kansas tende a ser um estado mais favorável ao senador da Flórida do que a Louisiana (em que o seu desafio será alcançar os 20%, objetivo mais fácil agora com a desistência de Ben Carson) ou o Kentucky (uma pesquisa o coloca em boa situação ali, mas não suficiente para vencer – o eleitorado de lá não é especialmente favorável). Se Kasich não estivesse na disputa, poderia pensar em algo no Maine, mas a presença do governador de Ohio dificulta o apelo de Rubio entre os eleitores moderados.

Mas o que esperar? Mais alguns terceiros lugares, provavelmente, a não ser que a estratégia de disputar o Kansas dê algum resultado similar ao do Minnesota para Rubio, tirando uma vitória de Trump. De todo modo, o saldo de Rubio deverá ficar positivo no andamento dos dias, pois as primárias de Porto Rico no domingo oferecem uma chance melhor para ele. Não há pesquisas, mas uma vitória com mais de 50% dos votos não pode ser descartada. Por outro lado, se Rubio não ganhar Porto Rico, qual sua real chance de vencer a Flórida?

Precisa de: 69 delegados
Deve obter: 45 a 60 delegados

John Kasich

O governador de Ohio não tem um caminho plausível para a nomeação por meio do número de delegados, apostando faz algumas semanas em uma convenção dividida na qual os seus delegados possam ser o fiel da balança. Esse plano depende essencialmente de sua vitória em Ohio, que vota no dia 15 e dará todos os 66 delegados ao vencedor,não importa o percentual de votos. Obter ainda mais delegados, entretanto, não faz mal.

E para isso, sua melhor chance está no caucus do Maine. O estado tem um governador que recentemente apoiou Donald Trump, que é favoritíssimo por lá, mas o fato de ser um estado da Nova Inglaterra, similar a New Hampshire, Vermont e Massachusetts, pode ajudar Kasich a obter pelo menos um segundo lugar novamente (no restante dos estados, a chance de não terminar em último acabou quando Ben Carson desistiu).

Precisa de: N/A [estratégia para a Convenção]
Deve obter: 3 a 12 delegados

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s