Guia Super Tuesday: Republicanos

O primeiro dia de março em 2016 marcará o começo da fase decisiva da campanha nas primárias republicanas e democratas. É a Super Tuesday, a Super Terça-Feira, na qual onze estados irão decidir definitivamente para quais candidatos republicanos irão os delegados a que cada estado tem direito.

Se você não entende nada sobre as eleições americanas, talvez seja melhor ler nosso primeiro texto antes de ler este. Se não sabe direito o que é um caucus, o texto sobre Iowa pode explicar. Se não conhece os principais candidatos, basta ver os perfis que publicamos sobre eles.

Vamos falar sobre as regras e as chances de cada candidato republicano nos estados que votaram amanhã para atribuir delegados para a Convenção Nacional Republicana em julho. Dois deles, Colorado e Wyoming, não decidirão delegados mas também terão votações preliminares. Os onze estados decisivos, com seus respectivos números de delegados, estão na lista abaixo. Clique para saber sobre cada um.

  1. Texas (155)
  2. Georgia (76)
  3. Tennessee (58)
  4. Alabama (50)
  5. Virginia (49)
  6. Oklahoma (43)
  7. Massachusetts (42)
  8. Arkansas (40)
  9. Minnesota (38)
  10. Alaska (28)
  11. Vermont (16)
  12. Previsão Final (595)

Texas (155 delegados)

O estado dos cowboys é um dos que mais cresce em número de habitantes nos Estados Unidos. O Texas é quase um país à parte: sua cultura, seu sotaque, seus hábitos, todos tornam o estado algo bastante característico e particular. Conquistado do México na guerra lançada pelo presidente James Polk (1845-1849), o grande território é também o maior prêmio em delegados republicanos na Super Tuesday.

As regras são as seguintes: 108 delegados são alocados pelos 36 distritos congressuais do estado (ou seja, três cada), outros 47 são decididos pela votação total no estado. Candidatos que obtiverem 50% ou mais dos votos em um distrito ganham seus três delegados; se ninguém atingir 50%, os dois mais votados dividem os delegados do distrito (dois para o vencedor, um para o vice). Nos 47 gerais, há um mínimo de 20% dos votos para poder receber delegados de modo proporcional.

635626376557048132-458423294Talvez seja o único estado em que Ted Cruz tem vantagem garantida contra Donald Trump e Marco Rubio. Afinal, Cruz é senador pelo Texas e popular entre os eleitores republicanos. Quase todas as pesquisas garantem essa vantagem, e é praticamente certo que o senador texano obterá o maior número de delegados no Texas. Talvez consiga uma maioria, mas a regra 2-1 pode ajudar Trump e até mesmo Rubio. Kasich e Carson não terão 20% dos votos, garantindo que os três principais candidatos dividam todos os 155 delegados texanos.

(voltar ao índice)

Georgia (76 delegados)

86452102_fde2b3404d_zMartin Luther King, Jr. nasceu em Atlanta, maior cidade da Georgia. Durante sua época, o Partido Democrata era o responsável, no Sul, pela manutenção das leis de segregação contra negros. Isso faz com que muitos digam que o famoso líder pelos direitos civis era um republicano. É impossível ter certeza, mas a insistência de ambos os lados em disputar a herança de MLK mostra como sua trajetória pública inspirou gerações até hoje. A imagem mostra a casa em que MLK nasceu.

As regras são similares às do Texas: 42 delegados são alocados pelos 14 distritos congressuais (três em cada um), outros 34 são decididos pela votação total no estado. Candidatos que obtiverem 50% ou mais dos votos em um distrito ganham seus três delegados; se ninguém atingir 50%, os dois mais votados dividem os delegados do distrito (dois para o vencedor, um para o vice). Nos 34 gerais, há um mínimo de 20% dos votos para poder receber delegados, de modo proporcional.

O segundo maior prêmio na Super Tuesday republicana é um estado com muitas similaridades com a Carolina do Sul. A Georgia é, portanto, um território fértil para Donald Trump, que deve vencer no estado (de acordo com as pesquisas) e obter a maioria dos delegados. Rubio tem boas chances de ganhar delegados nos distritos mais urbanos (como em Atlanta) e pode inclusive vencer alguns deles. Cruz aposta nos subúrbios com maior eleitorado evangélico. Kasich e Carson são cartas fora do baralho.

(voltar ao índice)

Tennessee (58 delegados)

civil-war-knoxville-tennesseeJá dissemos no Guia Democrata para a Super Tuesday que o Tennessee é famoso pela sua importância na formação da música americana. Outra característica interessante do estado é seu papel na Guerra Civil: forneceu mais soldados para os Confederados do que todos os outros estados sulistas, mas também forneceu muitos para as forças unionistas. O fato de ser um estado fronteiriço entre Sul e Norte (como era entendida a divisão no século XIX) certamente foi o fator preponderante.

As regras das primárias no Tennessee favorecem mais a divisão proporcional dos delegados do que em outros estados. O motivo é que um candidato só ganha todos os delegados de um dos nove distritos se obtiver 67% dos votos – o mesmo vale para os delegados do estado como um todo. Caso isso não ocorra, o vencedor leva 2 delegados e o vice leva 1. São no conjunto 58 delegados em disputa (27 nos distritos, 31 no estado), e somente aqueles que obtêm 20% dos votos recebem delegados.

Não há muitas pesquisas no estado. Na mais recente, Trump lidera com 40%, seguido por Cruz com 22% e Rubio com 19%. É provável que os três sejam os únicos a atingir os 20% mínimos. Trump ficaria com uma maioria dos delegados e Cruz e Rubio brigariam pelos restantes. Dificilmente Carson ou Kasich conseguiriam delegados, mas talvez um ou outro distrito lhes sejam mais favoráveis.

(voltar ao índice)

Alabama (50 delegados)

wallaceO estado que até hoje é lembrado pela sua política de segregação, defendida entusiasticamente pelo governador democrata George Wallace nos anos 60, é também um dos mais pobres dos Estados Unidos. O Alabama é culturalmente um dos estados mais característicos do chamado “Sul Profundo” e vota nos republicanos em largas margens desde os anos 80.

Suas regras de alocação de delegados são idênticas às da Georgia, oferecendo 50 delegados divididos em 21 distritais (3 a cada um dos 7 distritos congressuais) e 29 para o estado inteiro. Novamente, a regra de 20% dos votos se aplica para poder receber delegados; nos distritos, o vencedor ganha 2 delegados e o vice ganha 1, a não ser que o vencedor obtenha mais de 50% dos votos.

Na última semana, o senador republicano Jeff Sessions apoiou Donald Trump, que lidera as pesquisas no estado com folga. Hoje o Alabama talvez seja a melhor chance do bilionário para conseguir chegar perto ou superar a barreira dos 50% e ganhar muito mais delegados proporcionalmente do que nos outros estados. Ted Cruz procura alcançar Trump com o apoio dos evangélicos que são bastante numerosos no Alabama; Marco Rubio corre por fora e tenta sair do estado com melhor resultado que Cruz. Novamente, é improvável que Kasich ou Carson obtenham delegados.

(voltar ao índice)

Virginia (49 delegados)

O estado que é vizinho da capital Washington, D.C. (junto com Maryland) é um dos mais importantes para as eleições gerais de novembro. Republicanos com esperança de se tornarem o 45º presidente e exercerem a 58ª presidência necessitam de uma vitória no estado, que foi vencido por Obama nas últimas duas eleições.

gop-2016-rubioA Virginia é um dos poucos estados em que o sistema de alocação de delegados é totalmente proporcional, sem um mínimo de votos estabelecido para conseguir delegados e sem divisão por distritos congressuais. Assim, todos os candidatos que atingirem 2% dos votos conseguirão pelo menos um dos 49 delegados.

O líder nas pesquisas, como podem imaginar, é Donald Trump. Mas a Virginia tem apresentado bons resultados também para Marco Rubio, e há uma esperança pequena de seus apoiadores de até vencer o estado. Colabora para isso a relativa fraqueza de Ted Cruz no estado, bem atrás de Rubio nas pesquisas. Mas é bastante difícil, visto que Kasich e Carson devem tirar votos preciosos do senador da Flórida. Trump deve ficar com alguns delegados a mais na Virginia, portanto.

(voltar ao índice)

Oklahoma (43 delegados)

oklahoma-road-map

Oklahoma talvez seja o estado mais interessante de acompanhar na Super Tuesday. O motivo é que, apesar da liderança de Donald Trump nas pesquisas, há motivos para considerar Ted Cruz e Marco Rubio competitivos, principalmente o primeiro. O estado é vizinho ao norte do Texas e isso pode ajudar o senador texano. Rubio espera ir melhor do que o esperado especialmente nas zonas urbanas como Oklahoma City, e recebeu na segunda-feira o apoio do ex-senador Tom Coburn.

Além disso, o resultado em delegados pode acabar sendo mais igualitário para os três candidatos devido às regras das primárias de Oklahoma. 15 dos 43 delegados são alocados aos distritos congressuais, três em cada um. Nos distritos, a regra de alocação permite que os três mais votados dividam os três delegados igualmente, a não ser que um candidato atinja 50%. Como isso não é esperado para nenhum candidato, cada um deve sair com 5 delegados, e aí dividirão os outros 28 de acordo com a votação no estado. Somente quem atingiu 15% dos votos tem o direito de obter delegados.

(voltar ao índice)

Massachusetts (42 delegados)

1d Boston-Tea-Party_print2O estado onde ocorreu a famosa Tea Party, um dos estopins da Revolução Americana, é hoje muito mais democrata do que republicano. Não obstante, o movimento conservador dos últimos anos chamou-se Tea Party em homenagem ao grupo que jogou sacas de chá no mar de Boston para protestar contra os impostos aplicados pela coroa britânica.

Os eleitores republicanos do estado são muito mais moderados do que os sulistas, e isso dá vantagem para John Kasich, que pode chegar em segundo lugar, à frente de Marco Rubio. Isso, é claro, porque Donald Trump é o líder disparado no estado. É o único estado que pode dar um número razoável de delegados para Kasich. O sistema é todo proporcional para todos os 42 delegados para candidatos com no mínimo 5% dos votos, que deve ser atingido por Cruz, enquanto Carson terá mais dificuldades.

(voltar ao índice)

Arkansas (40 delegados)

Huckabee-Trump-Getty-640x480O estado que já foi governado pelo ex-presidente Bill Clinton costuma votar nos republicanos nas eleições gerais. Um outro ex-governador do Arkansas, Mike Huckabee, não declarou apoio a Donald Trump diretamente, mas sua filha está trabalhando na campanha do bilionário.

À diferença de outros estados, o mínimo que um candidato precisa obter para conseguir delegados é 15%. Isso pode ajudar Ben Carson a conseguir pelo menos um. A única pesquisa feita em fevereiro dá uma disputa acirrada entre Cruz, Trump e Rubio, nessa ordem, tornando o resultado final bastante imprevisível. É possível que os três dividam a maior parte dos delegados, mas qualquer um pode vencer.

(voltar ao índice)

Minnesota (38 delegados)

Minnesota_Congressional_Districts,_113th_Congress.tifO estado do Minnesota, no norte do país, não oferece muitos delegados nas primárias republicanas, mas pode ser importante como indicação de como eleitores do Norte e do Meio-Oeste votarão no futuro. O sistema de caucus funciona de modo totalmente proporcional, sem número mínimo de votos para receber delegados (24 nos distritos, 14 no estado como um todo), o que tende a distribuir os votos e dar chance para Kasich e Carson.

No entanto, a falta de pesquisas faz a projeção para Minnesota ser um ponto de interrogação. Muitos avaliam que é a melhor chance de Marco Rubio ganhar um estado na Super Tuesday pois o senador liderava a corrida em uma pesquisa feita em janeiro, à frente de Trump e quando ainda havia outros 5 candidatos pontuando. De todo modo, só uma vitória expressiva fará diferença no número de delegados – uma vitória ali será mais simbólica do que um grande prêmio para a Convenção.

(voltar ao índice)

Alaska (28 delegados)

O Alaska é o estado mais extremo geograficamente, localizado na ponta noroeste do continente americano e separado do restante dos Estados Unidos. Vizinho da Rússia e terra de Sarah Palin, ex-governadora e candidata a vice na chapa de John McCain em 2008. É um território grande, mas pouco povoado, e sua economia gira quase completamente em torno da extração de petróleo e gás natural.

alaska-cabin-northern-lightsAlaska faz caucus em vez de primárias, o que pode facilitar o trabalho de candidatos como Ted Cruz, com maior organização entre os apoiadores. Embora praticamente não tenhamos pesquisas, é razoável imaginar que o resultado será favorável a Trump, considerando que ninguém fez campanha real no estado mais distante – não vale a pena deslocar-se tanto para disputar apenas 28 delegados quando só os estados sulistas darão quase 400 delegados. A alocação é proporcional, mas só candidatos com 13% dos votos podem receber delegados.

(voltar ao índice)

Vermont (16 delegados)

Em Vermont, o estado de Bernie Sanders, o eleitorado republicano não é muito numeroso. Mas a maioria vai para Donald Trump. Talvez ele possa atingir os 50% necessários para obter todos os 16 delegados, mas o mais provável é que acabe dividindo alguns deles com Rubio e Kasich. O governador de Ohio e o senador da Flórida devem atingir os 20% necessários. O mesmo não pode ser dito de Ted Cruz e Ben Carson, que não devem ter muitos votos no estado.

As regras são simples, pois o estado tem apenas um distrito congressual. Os 16 delegados são alocados de modo proporcional para aqueles que atingirem pelo menos 20% dos votos, a não ser que alguém chegue a 50% e ganhe todos os delegados de Vermont.

(voltar ao índice)

Previsão final (595 delegados)

Assim como nas primárias democratas, é impossível ter uma projeção realista que não envolva uma boa dose de chute. A falta de pesquisas na maioria dos estados e o caráter altamente imprevisível dessa campanha republicana torna vários resultados possíveis. Uma onda favorável a Marco Rubio ou a Ted Cruz pode alterar bastante o resultado em comparação com a expectativa geral.

Mas não dá para minimizar as chances de Donald Trump. O bilionário lidera em quase todos os estados e em alguns deles sua margem é ampla. A divisão dos votos conservadores entre Rubio e Cruz facilita as vitórias de Trump, além da participação dos candidatos sem praticamente nenhuma esperança realista de conseguir a nomeação, que são Ben Carson e John Kasich. Estes devem conseguir alguns delegados, mas o grosso dos 595 em disputa irá para o trio Trump-Rubio-Cruz.

E aqui está o mais importante: o jogo das expectativas. Como visto acima, quase todos os estados oferecem delegados de forma proporcional, o que reduz os ganhos dos vencedores em comparação com estados como a Carolina do Sul. Neste caso, Trump ganhou todos os 50 delegados com menos de um terço dos votos; se repetir esse resultado em todos os estados da Super Tuesday, Trump terá no máximo 40% dos delegados. Como é de se esperar que ele consiga superar o terço dos votos, é possível que Trump consiga uma maioria folgada de 300 delegados.

De acordo com as pesquisas, Cruz e Rubio estão empatados em muitos estados, com vantagem para Cruz no Texas e para Rubio em outros. Se Cruz conseguir muito mais delegados que Rubio mas ficar distante de Trump, a expectativa é que as chances do bilionário aumentem ainda mais, pois Cruz continuaria na disputa. Se Rubio superar Cruz, o argumento de que somente Rubio pode vencer ficará mais forte, pois na Super Tuesday a maioria absoluta dos estados é favorável a Cruz.

Em suma, um resultado esperado é Trump obter entre 240 e 300 delegados: se tiver mais que isso, suas chances de obter a nomeação ficarão ainda maiores. Rubio e Cruz devem dividir entre 260 e 330 delegados entre si, e é uma boa aposta dizer que o senador da Flórida tem vantagem sobre o texano no momento. Kasich e Carson não devem conseguir muito mais que 20 a 30 somados. A liderança de Trump é inquestionável, mas a depender do resultado pode se iniciar uma nova fase na campanha.

(voltar ao índice)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s